Grupo de Investigación Lingüística e Literaria Galega ILLA
Grupo de Investigación Lingüística e Literaria Galega ILLA
Universidade da Coruña
Glosario
da poesía medieval profana
galego-portuguesa
Voces do F
fazenda s. f. 'situación, asunto, estado, condición, intereses'
ImprimirAlternar visualización dos exemplos
23.34 ca mentr’eu vosso desamor oer, / ..., [e] tever / vosco tan mal mia fazenda com’eu / tenho convosco, non [me sera] greu / de morrer||37.7 ca non ous’eu dizer nada / a ome que seja nado / de com’oj’é mia fazenda||37.14 po[i]-la que non fosse nada / por mí é tan alongada / de min que non sei mandado / dela nen de mia fazenda||37.21 e non mi dá grado, / e perece mia fazenda||37.28 poi-la mia senhor nembrada / non quer aver outorgado / que melhor’én mia fazenda||52.23 E nunca vos eu ja irei / de mia fazenda máis dizer||60.26 E máis vos quero, mia senhor, / da mia fazenda ja dizer, / [e] vós devedes-mi a creer||83.19 E dé-me poder de negar / sempr’a mui gran cuita que ei / por vós aas gentes que sei / que punhan en adevinhar / fazenda d’om’...||90.12 e mia fazenda vos direi: / ...||104.18 E[n] mui gran coita per-serei / u lh’eu ma fazenda disser / e m’ela dos olhos catar||170.10 ca lhes non quero negar nulha ren / de mia fazenda||254.14 E des oimais non pod’El saber ren / de mia fazenda senon devinhar||268.12 A coita que eu prendo non sei quen atal prenda, / que me faz fazer sempre dano de mia fazenda||270.9 ca non fora tan gran cousa dizer / se se mi a min ben ouvess’a parar / a mia fazenda||290.3 mais non saben de mia fazenda ren||316.22 e por én querria morrer, / ca, per quant’eu de mia fazenda sei, / o melhor é pera mí de morrer||326.16 mais mia fazenda ja assi é / que non ei [eu end’al fazer / enquant’ela poder viver]||436.2 Des oje-mais me quer’eu, mia sen[h]or, / quitar de vos mia fazenda dizer, / per bõa fe, se o poder fazer||461.19 E, pois que vossa fazenda teedes ben alumeada / e queredes ben amiga fremosa e ben-talhada||484.26 Par Deus, adail, muit’ei gran razon / de sempre en vós mia fazenda leixar||491.10 por quant’eu sa fazenda sei||494.23 per quant’agora sei de sa fazenda||505.3 quero-vo-la mia fazenda mostrar / que vejades como de vós estou||505.9 e mia fazenda vos quero dizer / que vejades que mi de vós aven||505.15 E non sei quando vos ar veerei / e por én vos quero dizer aqui / mia fazenda||597.9 e, per quanto de sa fazenda sei, / tod’este mal é por esta razon||672.10 De min nen de mia fazenda non poss’eu parte saber||685.20 Pois entendedes, amigo, com’é / a mia fazenda, por Nostro Senhor, / vivede migo||740.10 per quant’oj’eu de mia fazenda sei, / máis lhe valria pera non morrer / [non lhe fazer ben ca de lho fazer]||898.10 Aver-lhes-ei mia fazend’a mostrar / que non tenhan que viv’eu sen amor||918.23 E diss’el-rei, noutro dia estando / u lhe falaron en vossa fazenda, / que vos quer dar Ardon en encomenda||966.8 Pero dizen que ben / farei eu mia fazenda de viver / longi dela, que mi non quer valer||970.12 e ar se guarde quen s’á per-guardar, / ca mia fazenda vos dig’eu sen falha||979.2 Nulh’ome non pode saber / mia fazenda per neun sén||1000.16 e, pois eu tanto mia fazenda sei, / morrerei eu, m[eus amigos, por én, / ca ja perdi o dormir e o sén]||1129.15 e ben entendo mia fazenda ja / como mi vai||1197.34 – Juião, tu deves entender / que o mal vilan non pode saber / de fazenda de bõa dona nada||1249.8 El quis comprir sempre seu coraçon / e soub’assi sa fazenda trager / que tod’ome nos podia ‘ntender||1325.6 di-me, doutor, como ou quando / lhe cuidas fazer enmenda, / por quant’and’el trabalhando, / com’aposta ta fazenda||1332.31 e de com’é mia fazend’apostada / vós, Don Estevan, sodes én ben fiz||1344.21 [se mia fa]zenda desato, / por qua[n]to [sei, ma des]ata||1344.31 mais, pois eu non acho vao / a meu feito, sempre vaa / sa fazenda en ponto mao, / e el muito en ora maa||1430.28 e sei / per aquest’a sa fazenda daquestes||1498.5 e, per quant’eu de sa fazenda sei, / porque non ven ao reino el-rei, / non vee cousa ond’aja sabor||1545.34 Se melhor quiser emparar, / mia fazenda terria / per i peior parada||1552.15 E, pois el sa fazenda tan mal cata / contra elas que faz viver tal vida
[últ. rev.: 25/04/2017]